quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Nos bastidores de Fênix!

Tradução do texto original por Thomas Bacon 
Behind The scenes on Phoenix!




O nome dela é Jean Grey, e provavelmente a mulher mais importante dos X-men - Uma linda e poderosa  mulher independente, que exerce um tremendo poder. Mas, nos bastidores, Jean tem sido o centro de muita controvérsia entre os X-escritores e artistas! Hoje, estamos indo atrás das páginas impressas para revelar os segredos de Fênix!



Interesse amoroso 


A triste verdade é que Jean Grey era originalmente um membro dos X-Men, como uma espécie de acréscimo, uma personagem que Stan Lee tenderia a esquecer como nada além de um interesse amoroso para os meninos. Teve o ápice prematuro, em X-Men # 3.


Não só apenas os garotos ficaram empolgadíssimos com Jean; até mesmo Professor Xavier também teve alguma coisa por ela! Roy Thomas observou: "Quando eu perguntei pro Stan sobre isso um pouco mais tarde, ele disse: "Eu não sei, parecia ser apenas algo que faz sentido. Joguei-a para complicar as coisas." E isso é aquilo que às vezes deve ser melhor esquecer." 

Não era uma ideia popular; décadas mais tarde, durante a saga Massacre, este se tornaria um dos segredos reprimidos de Charles Xavier. Scott Lobdell, que trabalhava como um dos escritores sobre o crossover, realmente não gostou disso. "A idéia não seria de Xavier enterrar seu desejo pela jovem Jean Grey? É um caminho assustador demais para mim!"



A Fênix

Chris Claremont sempre criou mulheres fortes, e quando ele começou a escrever sobre Jean Grey decidiu amplificar consideravelmente seus níveis de energia. Claremont explicou assim:

"Nossa intenção foi criar um análogo X-Men, assim como Thor - alguém que foi essencialmente a primeira heroina cósmica. Nós pensamos no momento em que poderíamos integrá-la para as historias, assim como Thor havia sido integrado nos Vingadores. "

Curiosamente, Dave Cockrum passou por uma série de desenhos antes de escolher este visual. Alguns de seus projetos iniciais eram muito, mas muito diferentes ...


X-fãs observadores irão reconhecer o conceito da cor branca nos eventos dos últimos anos.
Como você pode ver, originalmente Cockrum queria que o traje de Fênix fosse branco, não verde, mas, infelizmente, a qualidade do papel e o processo de impressão da época não teria permitido que o texto ou imagens do outro lado teria mostrado-a completamente. Aqui está uma imagem muito legal de como Cockrum imaginou Fênix!


Para descontrair, aqui está um ''como desenhar" legal do projeto final de Cockrum:


John Byrne não era um fã de Fênix, no entanto. Quando ele entrou para o time de roteiristas dos X-men, reagiu fortemente contra ela, e pressionando para se livrar do personagem por ser muito poderosa, ela fez o resto dos X-Men "segurar vela".



A Saga da Fênix Negra

Talvez o momento mais chocante da história de Jean Grey é encontrado na Saga da Fênix Negra. Neste enredo incrível e icônico, a ruiva desce a loucura; seus poderes incendiam de formas cada vez mais devastadoras, e um mundo inteiro é destruído. No final, em um momento histórico do universo dos quadrinhos, Jean Grey sacrifica sua vida para conter o poder da Fênix. 

Curiosamente, não era assim que a história foi originalmente planejada para acabar. Chris Claremont e John Byrne estavam trabalhando na história com o plano de Jean ter perdido seus poderes para o império Shi'ar (você pode ler este final alternativo para a Saga da Fênix Negra em "Phoenix: The Untold Story").


A responsabilidade pela saga se encontraria com o editor Jim Shooter. Ele havia assinado o enredo, mas não  manteve um olhar atento sobre ele. E quando ele leu o problema em 'Fênix Negra destrói todo um mundo', ele se abalou. Argumentos enfurecidos - por um tempo, a ideia de que Jean seria entregue a uma prisão galáctica, foi devolvida ao enredo, mas Chris Claremont recusou como ele queria que os X-Men seriam apenas o resgate de Jean - e, eventualmente, ele teve que voltar  para a ideia de matá-la. 

Claremont tinha outros planos, é claro. Imaginaria Jean retornando à Terra normalmente (não mais como Fênix Negra), e tinha um arco de longa duração em mente.

"Eu tinha uma idéia de onde eu queria levá-la, o que seria durante o próximo ano, ela teria que lidar com o que aconteceu e com o que ela fez. Do meu ponto de vista, eu vi isso como chegar a um acordo com o fato de que ela matou 5 bilhões de pessoas e que ela cometeu um crime para o qual ela nunca poderia fugir, e ainda assim ela continuaria viva. O caminho mais fácil seria apenas para pular de um penhasco, mas ela não poderia. Ela tem que de alguma forma colocar as coisas direito com ela mesma, dentro de si. 
O fim de tudo que levaria até a edição # 150, seria que Magneto, tendo descoberto sobre isso, a sequestraria, e oferecendo-lhe o poder de novo, na falsa suposição de que ele pudesse controlá-la. Os X-Men viriam em seu resgate. 
Estariam lutando contra Magneto em uma seção do asteróide M e ela estaria em um quarto sozinha com o efeito Fênix, o poder, voltando e forçando-a a fazer uma escolha - ''Eu poderia tornar-me uma deusa novamente com toda força, mas ciente de que no processo poderia destruir os seres vivos e planetas, galáxias, e o qualquer que seja... para sobreviver? Ou eu negá-lo, e manter-se sendo este tipo de, o que é para ela é a sombra de um ser? "

Jean Grey renasce e é encontrada pelo Quarteto Fantástico na edição Like a Virgin  Like a Phoenix!

Jean Grey renasce

Jim Shooter declarou que Jean Grey não deveria ser ressuscitada - a menos que isso poderia ser feito de tal forma que a tornasse inocente dos crimes de Fênix Negra. Bem, no momento em que se chega a um ultimato como esse, você pode dar aos escritores um verdadeiro desafio! O escritor freelancer Kurt Busiek, um estudante de faculdade na época, ouviu o rumor e trabalhou com alguns outros fãs - Carol Kalish, futura chefe do departamento de vendas diretas da Marvel, e Richard Howell, um futuro artista de quadrinhos - para chegar a uma solução.

A ideia era simples: não era Jean. Em vez da mutante ser a Fênix, Jean teria sido substituída por ela, como um clone de energia com suas lembranças enviada para os X-men enquanto estava inconsciente restaurando-se num casulo onde teria morrido, e por isso ficou sem a culpa de seus crimes (embora elementos de moralidade sempre permaneceram, no qual sempre foi claro o quanto a Fênix estava em Jean). A ideia foi desenvolvida  por alguns anos, até o lançamento do X-Factor,com os X-Men originais, quando finalmente aconteceu. Jean Grey voltou! Curiosamente, o quinto personagem destinado a ser um membro do X-Factor teria sido a mutante Dazzler (Cristal).

Agora aqui está uma parte preocupante disso: como parte do tema X-Factor, Ciclope deixaria sua esposa Madelyne Pryor e iria participar desta nova equipe. Chris Claremont está na citação agitado e, possivelmente, a única razão pela qual ele não desistiu da ideia foi por perder o número de telefone de Jim Shooter!

"Passei o fim de semana chegando com um novo grupo de personagens que poderiam ser usados para X-Factor. Eu vim na segunda de manhã e sugeri a ideia de usar a irmã de Jean, Sara e fazer dela uma Cérebro vivo. Ela não só detectaria os mutantes, mas teria o poder de descobrir o que eles se tornarão. Shooter sentou lá e disse: "Isso é um grande conceito. Eu achei maravilhoso. Se você quiser continuar , continue, mas estamos trazendo Jean Grey de volta ".
Se eu tivesse realmente ido para ver Shooter na sexta-feira à noite, eu iria desistir. Eu estava muito chateado. Eu não podia acreditar que eles fizeram isso com Ciclope (Scott Summers). Ele deveria ser um herói e eles fizeram com que ele o abandonasse sua esposa e filho recém-nascido e nem sequer pensar duas vezes sobre isso. "
O destino de Madelyne foi selado, e deste ponto em diante estava designado para a saga Inferno.

O não-retorno de Fênix

Nos anos 90, Steve Seagle tinha grandes planos para Jean. Em Fabulosos X-Men # 353, ele tem Scott e Jean cabeça para se recuperar dos acontecimentos da Operação: Tolerância Zero, e de repente cai uma bomba:


Nas próximas edições, Jean Grey passou a usar o traje antigo de Fênix (verde e amarelo), e Seagle descreve Scott ficando cada vez mais preocupado. 


Jean Grey 'volta' a ser Fênix mesmo não estando possuída pela entidade!


A coluna do Comic Book Legends Revealed perguntou a Steve Seagle sobre isso e ele prestativamente respondeu: 

"Joe Kelly e eu projetamos um monte de histórias interessantes que foram aprovadas, assim conseguiram um ponta-pé inicial com base nas diversas mudanças que estavam acontecendo quase que diariamente na Marvel. Foi uma época frustrante. 

Um dos meus principais arcos de história a nunca a ser completados (iniciado em Uncanny 353) foi onde Jean Grey  depois de todas as complicadas fases infligidas sobre ela ao longo dos anos, segiundo a história da Fênix Negra - ela tecnicamente nunca foi a Fênix Negra, mas iria receber os poderes de Fênix como possuía no início. Eu queria olhar para saber se a real Jean Grey teria sucumbido o lado negro da forma como a "Jean Grey do casulo" fez. Scott viveu este cenário, uma vez, estava em posição de partida muito diferente e teria ido contra a vontade de Jean para abraçar este poder, assim como Jean tornou-se cada vez mais influenciada pela Fênix. Com uma distância entre eles e a equipe dos X-Men vendo uma história que não poderia se repetir, o amor de Jean teria prevalecido - apenas - porque eu gosto de um (um pouco) final feliz - e porque eu vejo Jean Grey tão forte o suficiente para vencer a tentação ".

A Era Grant Morrison

Antes de Morrison e Frank Quitely redesenhar os X-Men, à luz dos filmes, a Marvel convocou Alex Ross para fazer uma tentativa. Você pode ver todos os rascunho do Projeto: São legais, e Jean se destaca muito bem ...


O último escritor a escrever a continuação da história de Jean Grey foi Grant Morrison. Ele viu Jean simplesmente como: "esforçada para ser boa, mas às vezes se esquece de ser humana." As entrevistas com Morrison parecem estranhamente não condizer com os X-Men - na sua opinião, há apenas algo como três histórias dos X-Men para serem relevadas, tal como a natureza da franquia -assim continua sua jornada revisitado tudo o que é icônico sobre os X-Men: Magneto, Arma X, os Sentinelas, a Fênix, todos esses elementos estão presentes em sua série.

Posso não se fã de Morrison, mas esta cena foi fenomenal!

Morrison, claro, separou Scott e Jean - escrevendo uma história em que Scott tem um caso com Emma Frost. Morrison explicou assim:

"A maneira que eu vi foi que Jean e Scott tornaram-se distantes. Para mim, o grande momento de emoção para os dois foi quando eles saíram correndo para morrer juntos na lua durante a Saga da Fênix. Depois que Jean morreu, Scott acabou com muitas outras mulheres. Scott era muito atraente para todo mundo, mesmo ele não sabendo. Eu queria brincar com isso. Desde que ele estava se tornando emocionalmente distante de Jean, porque ela foi se tornando mais e mais divina, e ele só parecia que queria cair nos braços de alguém emocionalmente mais conectados, achei que  Emma realmente era. E sim, foi uma espécie de adultério, mas ao mesmo tempo, acho que Jean não estava sendo mais sua esposa. Eu apenas senti que a faísca entre eles havia morrido e que era hora de dar a Scott outra pessoa. "
Por fim, é claro que  Jean não terminaria a era Morrison viva.


4 comentários:

  1. Gente que página linda e maravilhosa *--*

    ResponderExcluir
  2. Se existe um escritor que me dá náuseas, com certeza é o Morrison...

    ResponderExcluir
  3. Grant Morrison é um canalha: ele quer ser mais importante do que os personagens!!!

    ResponderExcluir